Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Roteiro da FEB’

Roteiro da FEB na Itália

______________________________________________________________

Parte I – O Destacamento FEB

Quem tem a oportunidade de conhecer a Toscana italiana, certamente fica admirado com a impressionante beleza natural da região. Além disso, a recepção aos brasileiros é afetuosa, em particular a oriunda dos habitantes mais idosos. Tirando a hospitabilidade italiana, há uma razão histórica para tal recepção. Na década de 40, lá esteve a Força Expedicionária Brasileira (FEB), durante a II Guerra Mundial, libertando dezenas de cidades e vilarejos do domínio nazifascista. Foi pensando nos brasileiros que para lá viajam, interessados em conhecer um pouco da atuação da FEB na Toscana, que este post foi escrito.

A presença brasileira da FEB na Toscana italiana, locada no Google Earth

A seguir, encontra-se a cronologia e locais por onde passaram os pracinhas brasileiros do Destacamento FEB, comandado pelo General Zenóbio da Costa, que realizou as primeiras operações militares em solo europeu. 16.07.1944 – Desembarque em Nápoles (Itália), dirigindo-se para a região de Agnaro. 04.08.1944 – Deslocamento para a região da Tarquinia. 14.08.1944 – Incorporação ao V Exército Americano. 21.08.1944 – Deslocamento de  Tarquinia para a região de Vada. 13.09.1944 – Deslocamento de Vada para Ospedaleto. 14.09.1944 – Deslocamento de Ospedaleto para Vecchiano, para substituir o 434º Batalhão de Artilharia antiaérea norte-americano, recebendo a missão de progredir para o norte, tendo conquistado a Cidade de Massarosa, Monte Comunale e S. Stefano e Il Monte; 17.09.1944 – Captura dos maciços de Ghilardona, Il Vecoli, e C. S. Lucia; 18.09.1944 – Conquista  das cidades de Camaiore, Castegnori, S. Martino in Fredane, C.Pellagio, Cucca, Terracia, Casciana, Monsagrati, Cota 404, Vl. De Canestrano e C. de Collecchio; 20.09.1944 – Conquista  das cidades de Stignano, Auticiano, Fibiane, Bozzano e Cota 562; 25.09.1944 – Conquista  dos morros M. Acuto – M.Valimoni e Garupa de Batoni, obrigando o inimigo a retirar-se para o norte; 26.09.1944 – Conquista  de Monte Prana 27.09.1944 – Conquista  das cidades de Lopleglia e Fianno; 28.09.1944 – Conquista  das cidades de Covale, Pigaio, Villabuona, Piazzanelo; 30.09.1944 – Conquista de cidades de Pescaglia e Borgo a Mozzano; 06.10.1944 – Conquista de Coreglia Alteminelli e Fornaci; 07.10.1944 –  Patrulhas da FEB entram, sem encontrar resistência, em Gallicano, Fabriche e Cardoso; 11.10.1944 – Conquista  de Barga e Gallicano; 24.10.1944 – Ocupação de Sommocolonia; 25.10.1944 – Ocupação de Trassilico e Verni; 28.10.1944 – Captura de Monte Facto; 29.10.1944 – Ocupação de Colomini; 30.10.1944 – Conquista de San Quirico, Lama di Sotto, Lama di Sopra, Pradoscello e Pian de Los Rios.

Muitas das localidades descritas na literatura da FEB são, na verdade, distritos pertencentes a um município próximo (comune) ou, ainda, agrupamentos de casas (paese), que não aparecem hoje nos mapas face ao seu tamanho reduzido, por terem mudado de nome e/ou por terem absorvidos por outras cidades, posteriormente. Há algumas diferenças na nomenclatura utilizada na época com relação a atual. O Monte Prano é designado como Monte Prana no Google, por exemplo. Aliás, impressiona a sua altitude (1.221m) e o esforço que os pracinhas tiveram de empreender para sua conquista, partindo de posições quase ao nível do mar, como em Pisa (fotos). Em 1/05/2007 , foi colocada no topo do monte uma placa para relembrar a passagem dos brasileiros pelo local (fotos). Nesta outra foto aparece o cruzeiro, no topo do Monte Prana, com vista para o limite esquerdo do front brasileiro em  30/10/1944 (Pania Secca) no canto inferior direito do retângulo, por sua vez, próximo ao QG de uma Divisão SS alemã.

Um excelente estudo sobre a manobra do Destacamento FEB no Vale do Serchio foi elaborado pelo Prof. Dr. Dennison de Oliveira, da UFPR (link) A chegada dos brasileiros, em 1944, foi motivo de festa para a população. Esteve aquela região sob o controle da 16ª Divisão Panzer SS (mapa a seguir) até o avanço dos Aliados na direção da Linha Gótica (assinalada em vermelho), que lá perpetraram atos de crueldade inimaginável.  Um apanhado dos crimes de guerra na Toscana encontra-se no livro Le Stragi Nazifasciste in Toscana 1943-45 e também neste link. Há cerca de 200 casos documentados, com vítimas que chegam a casa dos milhares. Ainda que, provavelmente, este número tenha sido superestimado pelo antagonismo ideológico, ainda intenso no país, os números são estarrecedores.

Mapa das operações militares em agosto de 1944 – No mês seguinte os brasileiros entraram em linha, próximo a Pisa

Apenas na cidade de  Sant’Anna di Stazzema foram mortos 560 civis, entre homens, mulheres e crianças, inclusive bebês; um exemplo inequívoco da ação do mal sobre a natureza humana, agindo sob a capa de um regime totalitário e da guerra (link). Apenas em 2004, 60 anos após o massacre, os responsáveis começaram a ser julgados e condenados (link).

O cineasta Spike Lee dirigiu o filme Milagre em Sant’ Anna, que retrata esse triste episódio, ocorrido menos de um mês antes da FEB entrar em ação. A obra enfoca a 92ª Divisão “Buffallo” norte americana: a Divisão que substituiu aos brasileiros em outubro/novembro de 1944. O filme foi rodado na região da Toscana, onde os brasileiros estiveram.

As regiões nominadas no começo deste post podem ser visualizados neste link público para o Google Maps, passível de adição de novos locais pelos interessados. Foram elas localizadas com base em mapas históricos da FEB, com o auxílio do Google Earth.

Google Maps – acesso disponibilizado aos visitantes do Blog (posições da FEB em azul e amarelo)

O usuário do Google Earth pode fazer o download das suas coordenadas neste link, que também podem ser inseridas no GPS e servir como orientação para o visitante da Toscana.

Além dos locais onde esteve o Destacamento FEB, estão assinalados outros três de interesse turístico/histórico/cultural na região. São eles:

1. Passo Croce – Onde foram gravadas cenas do filme Milagre em Sant’ Anna (Posto de comando da 16ª Divisão Panzer SS)

Passo Croce – À direita o Mte. Corchia. Do outro lado dessa cordilheira estavam as posições avançadas da FEB

Visão panorâmica do Passo Croce – Ao fundo, à esquerda, o Monte Prana. Esta posição dista 7 Km (em linha reta) de Pania Secca, posição brasileira em 30 Set 1944

2. Sant’Anna di Stazzema – Mais fotos neste link

Memorial em Sant’Anna di Stazzema

3. Monumento Votivo Militar Brasileiro em Pistoia

Os brasileiros mortos durante a campanha da FEB na Itália, exceto os “Soldados Desaparecidos”, foram enterrados no Cemitério Militar Brasileiro, mantido por décadas pelo Tenente Miguel Pereira: um ex-combatente que desde o final da Guerra permaneceu em solo italiano, com a missão de cuidar daquele pedaço de terra brasileira, cravado na região da Toscana .

O Monumento é composto de uma plataforma que contém uma pirâmide triangular com as placas inaugurais, um grupo escultórico em homenagem às Forças Armadas, um painel metálico estilizando um engenho aéreo de guerra e duas colunas monumentais, entre as quais encontra-se o túmulo do “Soldado Desconhecido”, ponto central de todas as homenagens e solenidades ali realizadas.

Em dezembro de 1960, os restos mortais dos brasileiros foram transladados para o Brasil, no Monumento Nacional aos Mortos da IIGM, no Aterro do Flamengo (vide O Retorno dos Heróis)

Anos mais tarde, foram encontrados os restos mortais de um dos soldados brasileiros extraviados. Por decisão unânime dos ex-combatentes, o corpo permaneceu no local onde encontra-se o túmulo do “Soldado Desconhecido”, no Monumento Votivo Militar Brasileiro. hoje administrado pelo filho de Miguel Pereira, Mario Pereira: um verdadeiro embaixador da FEB em território italiano. (mais informações neste link)

Monumento Votivo Militar Brasileiro em Pistoia

O antigo Cemitério Militar brasileiro, nos anos 50

Existem inúmeros outros lugares na Toscana de interesse histórico/cultural relacionados à FEB. O link público disponibilizado do Google Maps permite novas adições e sugestões de locais de visita por eventuais colaboradores. Da mesma forma, aqueles que desejarem contribuir com fotos para enriquecer este artigo, fiquem à vontade para enviar o material por e-mail (favor utilizar a aba comentários no final do post). Futuros artigos irão contemplar a região onde atuou a FEB, a partir de novembro de 1944.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: